Você está aqui: Home » O Coletivo

O Coletivo

logo do cea novo

O Centro de Estudos Ambientais – CEA é a primeira organização não governamental ecológica do sul do Rio Grande do Sul, tendo por premissa a busca de uma sustentabilidade não antropocêntrica, como alternativa para a crise ecológica. Foi legalmente instituída em 18 de julho de 1983, em Rio Grande, de onde procurou desenvolver ações na região. Por conta disso, no início dos anos 90, o CEA estabeleceu um escritório regional em Pelotas.

Rio Grande e Pelotas são municípios localizados junto a Laguna dos Patos, cenário de encontro entre o Pampa, Mata Atlântica e Zona Costeira, região de ecossistemas com riquíssima beleza e  diversidade biológica. Dunas, marismas, campos, matas e banhados (zonas úmidas) articulam  suas relações ecológicas, insuficientemente protegidas, como é o caso do Banhado do Taim, legalmente tutelado pela Estação Ecológica do Taim (ESCTAIM), ainda que de forma parcial.

O CEA prioriza a cooperação com outras instituições, por considerar que os ecossistemas se espalham para além dos limites municipais e, no caso das Zonas Úmidas, para mais além, através das fronteiras políticas do Brasil e Uruguai, requerendo uma aliança entre diversos agentes para implantação de medidas de cuidado ecológico.

A exemplo da nova configuração dos movimentos sociais emergentes na década de 80, o CEA foi constituído inicialmente (e mantém esse perfil até hoje) por pessoas preocupadas, não só com as conseqüências sociais e ecológicas negativas resultantes do modelo de vida urbano/industrial hegemônico no planeta, mas também com a retomada da democracia e o exercício da cidadania, valores e práticas sufocadas até então, pois Rio Grande era considerada área de Segurança Nacional e, entre outras medidas ditatoriais e autoritárias do governo militar, o prefeito não era escolhido pelos eleitores.

Outra característica definidora do perfil do CEA é de não atuar visando lucro, e muito menos remuneração de seus colaboradores, que na maioria das situações, cooperam de forma voluntária e sem contrapartida financeira pelo seu envolvimento em ações e projetos.

Na mesma direção, não é aceita contribuição financeira, de nenhuma natureza, de pessoas jurídicas, salvo eventuais ações de cooperação com o Poder Público. Assessorias técnicas ou prestação de serviços de cunho ambiental/ecológico não são objeto de prática pelo CEA. Nossas ações têm como fim a colaboração na construção de políticas públicas ecológicas.

Por fim, o CEA objetiva compreender a complexidade das relações subjetivas sociais e ambientais estabelecidas, proporcionando através de trabalhos institucionais de políticas públicas e/ou projetos, ativismos e ações a garantia de espaços que venham discutir, criar e sustentar uma nova realidade socioambiental, não antropocêntrica. O CEA também busca fomentar o processo de construção da autogestão das comunidades, organizando de forma sistemática alternativas ao modelo de degradação social e ambiental, notadamente através da educação e do direito ambiental.
… colaboradores, simpatizantes…

Alfredo Martin: possui graduação em Psicologia – Universidad de Mar del Plata (1974), graduação em Psicologia – Universidad Catolica Nuestra Señora de La Asunción (1982) e doutorado (1987) e pós-doutorado (2007) em Ciências da Educação – Université de Paris VIII. Atualmente é professor adjunto da Fundação Universidade Federal do Rio Grande, Tem experiência de 30 anos nas áreas da Psicologia Institucional, da Educação, com ênfase em Psicologia Transcultural, Educação Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: grupos, intervenção institucional, educação, cultura e Direitos Humanos.

Aline Menezes: possui graduação em História Licenciatura e Bacharelado e Especialização – Rio Grande do Sul: Sociedade, Política e Cultura pela Universidade Federal do Rio Grande. Desenvolve pesquisas em Políticas Públicas, Educação, Populações Tradicionais e Agenda 21. Experiência na área de História com ênfase em Educação Patrimonial, Ensino de História e Movimento Operário. Professora Tutora da UAB/FURG. Mestranda em Educação Ambiental PPGEA/FURG. Representa o CEA no Fórum da Agenda 21 Local e no Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Rio Grande/RS (COMDEMA). Pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Política, Natureza e Cidade na linha de pesquisa: A Educação e a Natureza da/na cidade.

modulo-ii-ambientalista-educador-058

Anderson Alexis: natural de Rio Grande (RS), professor, bacharel e licenciado em Ciências Sociais, especialista em Geografia Humana, ambos pela UFPel e representa o CEA em redes e colegiados ambientais.

 

SolerAntônio Carlos Porciúncula Soler: é da zona de banhados do RS, área considerada integrante do bioma pampa. Possui graduação em Direito (FURG). É especialista em Ecologia Humana (UNISINOS) e Ciência Política (ISP/UFPel). É mestre em Educação Ambiental (PPGEA/FURG). Possui militância ecológica na ONG Centro de Estudos Ambientais (CEA), onde coordenou o projeto “Ambientalistas Educadores”, em parceria com a UNESCO e o MMA. Desenvolve pesquisas na área do Direito Ambiental, vinculado ao Grupo Transdisciplinar em Pesquisa Jurídica Para a Sustentabilidade (GTJUS/FURG), do qual é co-fundador. Ministrou o primeiro Curso de Extensão em Direito Ambiental em uma universidade pública do RS, em 1991, na FURG, onde também foi professor de Direito Ambiental. Representou as ONGs ecológicas no CONAMA (dois mandatos), no CONSEMA-RS, no COMDEMA (Rio Grande) e no Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH). Atualmente é membro do Comitê Brasileiro para o Programa o Homem e a Biosfera da UNESCO (COBRAMAB), da Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 21 Nacional (CPDS), do Comitê Nacional de Zonas Úmidas, da Comissão Coordenadora do Plano Nacional de Áreas Protegidas e do COMPAM (Pelotas). Foi membro da Coordenação Nacional do Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais Para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento. Na esfera da Administrativa Pública Ambiental foi Coordenador do Programa Mar de Dentro do governo do estado do RS, Secretário Municipal de Planejamento Urbano de Pelotas e Supervisor de Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAM/POA). Colaborou na elaboração de diversas leis, decretos e resoluções incorporados no ordenamento jurídico brasileiro.  Foi professor de Direito Ambiental na FURG e na UFPel, além de outras disciplinas atinentes a crise ecológica. Colabora com os cursos a distancia de Educação Ambiental na FURG (Aperfeiçoamento) e na UFPel (Especialização).

Carlos RS Machado: possui graduação em História Licenciatura Plena (1989) e Especialização em História do Brasil (1991) pela Faculdade Porto Alegrense de Educação Ciências e Letras; Ciências Sociais e Políticas (1992) pela Escuela Nico Lopez (Cuba); Mestrado em Educação (1999) e Doutorado (2005) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente é membro do conselho editorial das Revistas – Ambiente & Educação (FURG) (1413-8638) e Momento (Rio Grande) (0102-2717), professor titular de políticas públicas da educação na Fundação Universidade Federal do Rio Grande e na Linha de Fundamentos da Educação Ambiental no Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Gestão Democrática nos Sistemas Educacionais e na Cidade, atuando principalmente nos seguintes temas: democracia, educação ambiental, gestão democrática da educação e a natureza das/nas políticas públicas educacionais.

Cíntia Barenho: possui graduação (licenciatura e bacharelado) em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Pelotas. Fez Mestrado em Educação Ambiental no programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental da FURG, Rio Grande/RS. A dissertação se intitulou Saber Local e Educação Ambiental: parcerias necessárias no processo de inserção da maricultura familiar na Ilha dos Marinheiros – Rio Grande/RS. Desenvolve trabalho e projetos no Centro de Estudos Ambientais desde 2004. Atualmente é conselheira no Conselho Deliberativo do Fundo Nacional de Meio Ambiente (CDFNMA/MMA) e também no Comitê Assessor da Política Nacional de Educação Ambiental (PNEA). Suas principais áreas de atuação são: Educação Ambiental, Etnoecologia, Agenda 21, Sustentabilidade, Metodologias Participativas e Ecocidadania.

100_1259 EugeniaEugênia Antunes Dias: é natural de Pelotas (RS), licenciada em Educação Física e graduada em Direito pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). É Mestre em Ciências Sociais (UFPEL), pesquisando acerca da visão antropocêntrica de natureza predominante em decisões do Poder Judiciário Gaúcho. Possui militância ecológica no Centro de Estudos Ambientais (CEA), onde atualmente participa do Projeto Ambientalistas Educadores, em parceria com a UNESCO e MMA. Desenvolve pesquisa na linha de Direito Ambiental do Grupo Transdisciplinar em Pesquisa Jurídica para a Sustentabilidade (GTJUS/FURG). Na esfera da Administrativa Pública Ambiental atuou na análise de licenciamentos ambientais e urbanísticos. Tem experiência em Colegiados Ambientais.

Francisco Quintanilha: Possui graduação em Direito pelo Centro de Ciências Jurídicas (1996) da Universidade Federal de Santa Catarina, mestrado em Direito na área de concentração de instituições jurídico-políticas pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000) e doutorado em Direito das Relações Sociais pela Universidade Federal do Paraná (2004). Atualmente é professor adjunto 3 da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande como titular da disciplina de História do Direito e do programa de Mestrado em Educação Ambiental da mesma universidade, na disciplina Políticas Públicas de Educação Ambiental e Marx e a Natureza. Tem experiência na área de Ciências Sociais Aplicadas e Humanas, atuando principalmente nos seguintes temas: História do Direito, cooperativismo, mundialização e relações internacionais, geopolítica, sociologia jurídica, fundamentos de educação ambiental e justiça ambiental

Ieda Denise Nóbrega Elste: bacharel em Direito pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG). advogada, representante do CEA no Fórum da Agenda 21 do Rio Grande e no COMDEMA, onde é membro da Câmara Técnica Permanente de Bem Estar Animal, da qual foi sua proponente, em 2008.

 

Luiz Rampazzo, CEA

 

Luiz Antônio Rampazzo:é ativista pioneiro da causa ecológica no sul do RS.

 

 

 

 

Maicon Bravo CEAMaicon Bravo: natural de São José do Norte, Bacharel e Licenciado em História pela Universidade Federal de Rio Grande (2003 – 2006, respectivamente), Especialista em História do Rio Grande do Sul (2007), Mestre em Educação Ambiental (2012), atuou na Associação Pró-Preservação do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de São José do Norte (2002-2006). Atualmente é professor de História das redes municipal e estadual em Pelotas/RS.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Paulo Costa: é técnico em extensão rural, notadamente em agricultura familiar de base orgânica.

 

 

 

Paredao Renato Pancaro Foto Soler HP CEA

Renato Pâncaro: é aposentado, artesão, alpinista e amante da vida e da natureza.

 

 

 

 

 

 

 

 E tantos outras e outros que direta e/ou indiretamente ajudaram e ajudam a construir a luta ecológica do CEA, desde o início da década de 80 até hoje.


Veja mais fotos no Flickr do CEA ou Picasa do Cea

Scroll to top